Quem somos? <

Histórico

Garzón Diffusion International, escritório de agentes comerciais, foi criado em 1984. Fortes de experiências pessoais na edição, à distribuição e a livraria, concebemos esta estrutura a fim de ajudar os livreiros europeus, do Médio Oriente e latino-americanos a importar livros editados e distribuídos no estrangeiro: França, Espanha, Itália, Portugal, Brasil e recentemente da Inglaterra, a Argentina, nos Estados Unidos e na Alemanha.

A nossa equipa é composta de seis pessoas cinco das quais viajam muito e regularmente pela Europa e a América Latina. Estas viagens permitem-nos apresentar a as livrarias e distribuidores as novidades, ajudarmos a instaurar um fundo editorial e solucionar eventuais problemas encontrados pelos clientes. Além disso, uma sexta pessoa se encontra permanentemente no escritório parisiense a fim de assegurar por um lado, o acompanhamento dos processos relativos aos clientes e os fornecedores, e por outro lado, o contacto com os representantes em viagem.

Nossa equipe fala várias línguas e, graças a sua escuta, à sua disponibilidade e a seu conselho, presta aos livreiros um serviço de proximidade.

Cronologia

> 1984: Após dez anos de experiência comercial para um grande grupo editorial francês sobre a Europa do Sul, a América Central, o México e a América Sul, Salvador Garzón cria em 1984 a sua própria empresa: GDI (Garzón Diffusion Internationale) que tem por objetivo a divulgação dos fundos editoriais franceses sobre estas mesmas zonas geográficas.

Vários editores e distribuidores lhe confiam à divulgação das suas obras: Flammarion (União Distribuição), Dicionário Lê Robert, Gründ, Robert Laffont (Interforum), o Celf (Centro de Exportação do Livro Francês), as edições de L’Amateur, etc.

Outros fundos acrescentam-se mais tarde: Dalloz, Michelin, PUF, La Matinière, Pocket, Vilo, Hachette Livre, Le Seuil...

> A partir de 1987, distribuidores e editores espanhóis solicitam os serviços da GDI para a sua divulgação: Celesa, Planeta, Anaya e Plaza y Janes. Esta abertura justifica a chegada de duas colaboradoras: Mirtha Bazan, rica de uma experiência junto das edições Doublé Page, que atende o mercado francês, e Montse Porta, livreira em Barcelona, que visitará os mercados espanhóis e portugueses.

> Em 1990, a empresa estende a sua atividade propondo os produtos dos editores que representa a novos países na Europa: a Alemanha, a Áustria, a Suíça, os Países Baixos, a Bélgica, o Reino Unido, a Dinamarca, a Grécia, a Hungria, a Irlanda, o Líbano e Israel. Elizabeth Feigenbaum, livreira com domínio das línguas, se junta à equipe para assegurar o acompanhamento desta nova clientela

Neste mesmo período, a empresa começa a oferecer novos produtos editoriais em outras línguas: o italiano (com o grupo Mondadori, Einaudi, Electa, SIES, Silvana editorial), o português (com Dinalivro), mas também dos livros vindos de Argentina, do Brasil, dos EUA, da Alemanha e da Inglaterra (Abrams, Blackwell).

> Em 1999, GDI abre um escritório no Brasil. O mercado deste país continente e aquele da Argentina são desde então, particularmente seguidos por Víctor Hugo Almirón, um comerciante de grande experiência.

> Depuis 2002, uma presença permanente é assegurada na sede parisiense por Emmanuelle Monsallier, livreira especializada em inglês e espanhol. Sua presença facilita a gestão da empresa e a divulgação da informação aos outros colaboradores que estão constantemente viajando.